domingo, 9 de setembro de 2012

ROSA COUTINHO, O 25 DE ABRIL, E O INCIDENTE DA FRAGATA 'A. GAGO COUTINHO'

DOWNLOAD PDF
Na manhã de 25 de Abril de 1974, integrada numa força NATO, a fragata Gago Coutinho rumava à saída da barra quando foi mandada retroceder, abandonando a formatura e colocando-se em frente ao Terreiro do Paço. Esta ordem veio do Estado-Maior da Armada;
O Imediato na asa da ponte de EB informa o Com.te do navio que a posição da Marinha para com o movimento é de neutralidade activa;
O Almirante Jaime Lopes dá ordem ao Com.te do navio para abrir fogo sobre os tanques do Exército posicionados no Terreiro do Paço;
O Com.te do navio não cumpre a ordem, alegando que estava muita gente no Terreiro do Paço e, também, que vários cacilheiros se encontravam nas proximidades;
O Com.te do navio recebe ordens para fazer fogo de salva;
O Com. .te do navio dá ordem ao Chefe do Serviço de Artilharia para fazer fogo de salva;
O C.S Artilharia recusa-se, chamando a atenção do Com.te do navio para o Imediato que tinha algo a dizer;
O Imediato reafirma a intenção dos oficiais se recusarem a abrir fogo mesmo de salva;
O Com.te do navio em crescente histeria, exonera do seu cargo o Imediato. Os oficiais a seguir convidados a assumirem o cargo recusaram;
Os oficiais mantêm-se disciplinadamente, a cumprir ordens do Com.te, excepto a de abrir fogo;
Pelas 13H20 o Com.te reúne-se com os oficiais na câmara. Em cima da mesa coloca uma pasta de arquivo verde, onde se pôde ver inscrita a palavra “Revolução”.
Após ter inquirido, um a um, todos os oficiais, começando pelo mais moderno, sobre se mantinham a sua posição de recusa de abrir fogo, o Com.te do navio considerou todos os oficiais insubordinados;
No final da reunião, que terminou antes da rendição do Presidente do Conselho de Ministros, Marcelo Caetano, no Quartel do Carmo, o Com.te do navio realçou explicitamente a necessidade de cada um de nós não se esquecer da posição que tinha assumido, pois ele não se esqueceria.”

VER TAMBÉM AQUI O DEPOIMENTO DO COMANDANTE DA GAGO COUTINHO, ANTÓNIO SEIXAS LOUÇÃ, DEPOIS ALMIRANTE, E PAI DO POLÍTICO FRANCISCO LOUÇÃ

E O DEPOIMENTO DO IMEDIATO, AQUI - FERNANDO LUÍS CALDEIRA FERREIRA DOS SANTOS CAPITÃO-DE-FRAGATA (REFORMADO)  IMEDIATO DO NRP "ALM. GAGO COUTINHO" em 25 DE ABRIL de 1974


Adicionar legenda











Sem comentários:

Enviar um comentário